PF fecha empresas irregulares de segurança privada no Tocantins e vigilante é preso





Segundo a PF, a operação ocorreu simultaneamente nos 26 estados e no Distrito Federal.

A Polícia Federal deflagrou uma operação na sexta-feira (29) para coibir o exercício ilegal da atividade de segurança privada em estabelecimentos comerciais e em locais de acesso ao público em Palmas e Araguaína.

Segundo a PF, a operação Segurança Legal III ocorreu simultaneamente nos 26 estados e no Distrito Federal, envolvendo o trabalho do órgão central e de mais de 95 unidades da Polícia Federal.

Pelo menos 400 empresas de segurança e estabelecimentos foram fiscalizados para garantir que a atividade não seja realizada por empresas irregulares ou pessoas não capacitadas, segundo a PF.

Os prestadores de serviços de segurança privada fiscalizados deverão comprovar sua regularidade, bem como o emprego exclusivo de vigilantes devidamente treinados e capacitados para a atividade.

As empresas flagradas atuando de maneira irregular estão sujeitas ao encerramento das atividades e às demais sanções cabíveis.

Em Palmas, a Polícia Federal fiscalizou cinco estabelecimentos comerciais, sendo que foram lavrados quatro autos de encerramento de atividades e expedidas quatro notificações para as empresas que contrataram os serviços irregulares.

Já em Araguaína foram fiscalizados dois estabelecimentos e um vigilante acabou preso por porte ilegal de arma de fogo. Os nomes não foram divulgados.

Com informações: AF Notícias

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.